20 (boas) razões para visitar Lisboa

Lisboa está na moda há algum tempo.  Já não é a capital desconhecida da Europa, a cidade floresceu e está no mapa de turistas de todo o mundo, incluindo estrelas internacionais da pop e do cinema que ajudaram ainda mais a popularizar a cidade. É considerada o destino mais barato na Europa Ocidental e oferece cultura, arquitetura e história. Há muitos motivos para visitar Lisboa, a cidade das 7 colinas. Aqui estão algumas escolhas.

DIA 1
Manhã
9h Comece o primeiro dia a tomar um pequeno-almoço com uma vista icónica sobre a cidade e o rio e observar a luz de Lisboa logo pela manhã. O Lisboa Pessoa Hotel tem uma das melhores vistas da capital, a partir dos seus dois terraços situados no 5ºpiso e dos nichos interiores (pequenas divisões, ao género de uma cápsula, com mesas para quatro pessoas no máximo, cada um com uma janela e vista “privada”). Depois de satisfazer esse importante sentido, o paladar, comece a pôr em prática os restantes sentidos com as próximas sugestões.


10h  Igreja do Convento do Carmo / Museu Arqueológico do Carmo / Ruínas do Carmo. Caminhe até ao Largo do Carmo, a 1 minuto do hotel, aproveite para contemplar este local cheio de restaurantes, esplanadas e história.  Foi uma praça importante para a revolução do 25 de Abril e foi também num destes prédios do largo que o escritor  Fernando Pessoa morou. 

O Convento do Carmo é  lugar de onde se sai mais conhecedor sobre a história de Portugal e onde pode imaginar a grandeza deste local na época. Já foi a principal igreja gótica da capital, mas ficou em ruínas devido ao terramoto e subsequente incêndio de 1755. A parte habitável do convento foi convertida em instalações militares em 1836. O Quartel do Carmo foi um marco importante na Revolução dos Cravos. A visita deve demorar entre 1h a 2 horas. 
Bilhete normal: a partir de 5€

11h30 Continue a percorrer as ruas de calçada até chegar à emblemática Praça Luís de Camões que homenageia um dos maiores escritores portugueses. Depois desça o Chiado e a sua Rua Garrett até aos Armazéns do Chiado. Continue a descer até passar o Arco da Rua Augusta e encontrar a Praça do Comércio, junto ao rio Tejo.  Escolha um dos muitos restaurantes e esplanadas para almoçar.

Créditos fotográficos @kuhnmi

  
Tarde
14h Retome a visita e vá até ao Núcleo Arqueológico da Rua dos Correeiros (NARC), uma visita interessante e diferente. Vale a pena conhecer as ruínas dos nossos antepassados ( sugere-se uma visita guiada para melhor assimilar a história). 
Entrada Gratuita

15h30 Depois de passar uma hora a descobrir coisas do passado, vá até ao Museu de Arte Contemporânea, e absorva as obras de arte mais recentes. Sem dúvida que o bom desta cidade é essa mistura entre o mundo antigo e o moderno. 
Bilhete normal: a partir de 4,5€

17h00 Apanhe um táxi/ autocarro/uber /elétrico até ao bairro de Campo de Ourique. Na Rua Sampaio Bruno encontra um geomonumento que nos permite fazer uma viagem no tempo até um passado tropical de Lisboa, de forma gratuita.

18h De Campo de Ourique ao Jardim da Estrela é cerca de 1 km que pode fazer a pé em 15 minutos. Aprecie a tranquilidade e este belo jardim verde bem cuidado. Se atravessar a rua está de frente para a Basílica da Estrela. Bom para levar crianças também. Fácil de chegar e sair. Há transporte público, estacionamento e táxi. 

Créditos fotográficos @Julien Chatelain

Fim de Tarde. Quase sempre Lisboa tem sol e para esta altura do dia, quando a luz ganha um tom dourado, escolha um destes 5 miradouros com as melhores vistas.

À noite, um dos destinos favoritos dos lisboetas para beber um copo e comer é o típico Bairro Alto. Aproveite cada minuto das ruas cheias de restaurantes que agradam a todos os gostos. Saboreie a boémia, diversão e a diversidade deste bairro. O Chiado é igualmente uma ótima opção para jantares, devido à grande oferta de restaurantes cosmopolitas e tradicionais de extrema qualidade.

DIA 2
Manhã
10h Depois de tomar a refeição mais importante do dia, um dos museus mais importantes em Lisboa é sem dúvida o Museu Calouste Gulbenkian, junto à Praça de Espanha, na Avenida de Berna. Inserido na Fundação Calouste Gulbenkian, alberga a coleção particular do fundador e uma coleção de arte moderna e contemporânea; uma orquestra e um coro; uma biblioteca de arte e arquivo; um instituto de investigação científica e um jardim que é uma das zonas verdes mais bem conseguida no centro da cidade, também conhecido como uma zona de grande concentração de escritórios e habitação mais nova.

11h30  LX Factory. A 5 km do “centro empresarial” de Lisboa está o antigo complexo fabril, LX Factory (LXF), em Alcântara, transformado numa zona de lazer criativa com 23 mil m2 de escritórios, lojas e restaurantes procurados para produções de moda e filmagens. Em LXF vive-se um ambiente industrial e o maior exemplo disso é a livraria Ler Devagar, com uma arquitetura única a combinar com o complexo onde está inserida. Recomenda-se almoçar por aqui, as opções de restaurantes são boas. 

Créditos fotográficos @Frances Ellen

Tarde
13h30 Para algo mais radical, siga o roteiro até ao Pilar 7, uma experiência para descobrir a história da Ponte 25 de Abril, inaugurada em 2017. 
Bilhete normal: a partir de 5€

14h30  MAAT Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia. Depois de Alcântara e da Ponte 25 de Abril, continue até à zona ribeirinha de Belém. O campus da Fundação EDP abrange uma área de 38 mil m2 que engloba uma central termoelétrica reconvertida – Central Tejo – , edifício emblemático da arquitetura industrial construído em 1908. A arquitetura deste museu é um exemplo do melhor que se faz em Portugal atualmente e as suas exposições são uma incursão pelos temas da construção, ciência e arte.
Bilhete normal: a partir de 5€

Créditos fotográficos: Luis Cozeto

15h00 Mosteiro dos Jerónimos. É também em Belém que está o monumento mais visitado de Lisboa. Se quer conhecer a obra-prima da arquitetura portuguesa do século XVI esta é a visita mandatória. O Mosteiro dos Jerónimos situa-se numa das zonas mais qualificadas de Lisboa, um cenário histórico e monumental junto ao rio Tejo, local de onde partiram as naus e caravelas no tempo das Descobertas que viriam a dar “novos mundos ao mundo”. 
Bilhete normal: a partir de 10€

Créditos fotográficos: @Jean-Pierre Dalbéra

17h Torre de Belém. O final da tarde é uma ótima altura para ir conhecer a Torre de Belém (não esquecer que no inverno a última admissão é às 17h). Construída estrategicamente na margem norte do rio Tejo entre 1514 e 1520, sob orientação de Francisco de Arruda, a Torre de Belém é uma das jóias da arquitetura do reinado de D. Manuel I. Não pode perder!

Termine com uma visita aos concorridos Pastéis de Belém. O tempo de espera na fila vai parecer pouco e bem merecido quando estiver a provar os deliciosos, estaladiços e doces “pastéis de nata”, feitos nesta casa desde 1837. Ao jantar, marque uma mesa no Mensagem no interior ou num dos seus terraços!

Se gostou destas 20 sugestões do que fazer em Lisboa em 48 horas, continue atento ao nosso blog onde vamos continuar a dar-lhe (boas) razões para visitar Lisboa, entre outras lindas cidades de Portugal.